VirtuOS 2007™ Versão 4.01

Índice

1. Introdução

2. Sobre a versão 4.01

3. Downloads

Versão 4.01a R.03

Versão 4.01a R.02

Versão Base 4.01a R.01

1. Introdução

Este documento descreve o conteúdo do CD-ROM de distribuição do VirtuOS 2007 versão 4.01, além de conter links para download de sua imagem e para os descritivos da versão.

O arquivo de imagem do CD-ROM é fornecido em formato “ISO”, compatível com a maioria dos programas “queimadores” de CD-ROM. A imagem contém todos os arquivos do Sistema Operacional, sua Documentação Técnica eletrônica, os ‘Kits’ de Desenvolvimento e respectiva documentação.

O CD-ROM obtido deve ser carregado no equipamento que utilizará o Sistema VirtuOS, para inicializar o sistema (‘Boot’), sendo esta a forma mais recomendada para instalação do Sistema.

As imagens de CD-ROM são identificadas pelo seu número de “Service Pack”. O número da versão do CD-ROM é obtido a partir do próprio nome do arquivo de imagem que tem o seguinte formato: “blvvv_sp.iso”, onde vvv representa a versão base do VirtuOS e sp o número do Service Pack. Assim, o arquivo bl400_01.iso contém o VirtuOS 4.00 no nível de Service Pack 01. O Service Pack 00 refere-se à primeira liberação da versão.

O documento PDF Guia Rápido de Instalação contém os passos iniciais para a instalação do sistema VirtuOS no equipamento.



2. Sobre a versão 4.01


A Versão 4.01 é composta de dois tipos distintos de sistema, conforme segue:

  • Servidor (VIRTUOS.SYS): Sistema que pode ser configurado como servidor de rede, compartilhando seus discos e impressoras com as demais estações da rede, além de possibilitar a conexão de terminais secundários, sejam estes terminais burros conectados através de portas seriais ou terminais virtuais conectados através do protocolo Telnet utilizando o emulador de terminais PCTWIN que se encontra no CD de distribuição do VirtuOS. Adicionalmente, o sistema servidor não tem nenhuma limitação quanto ao número de tarefas (máquinas virtuais) em execução simultaneamente, sendo o número máximo de tarefas limitado à quantidade de memória disponível. Este sistema exige que uma licença de uso válida.

  • Workstation (VOSWS.SYS): Sistema destinado às estações de trabalho de uma rede. Não compartilham seus discos mas podem compartilhar suas impressoras. São mono-usuário, isto é, não permitem a conexão de terminais seja pelas portas seriais, seja via Telnet. É limitado a 6 (seis) tarefas (máquinas virtuais) sendo que, na prática, apenas 2 máquinas virtuais ficam disponíveis para uso, uma vez que as demais são utilizadas pelo sistema operacional para a carga de "device drivers". Não pode operar em modo stand-alone, isto é, exige a presença de um ou mais servidores na rede.

São diversas as diferenças entre a versão 4.01 e sua antecessora (4.00). Para uma visão completa das diferenças entres estas versões, leia com atenção o descritivo da versão 4.01, que está disponível em formato PDF. Se você está migrando da versão 3 para a versão 4.01, aconselhamos antes a leitura do descritivo da versão 4.00, também em formato PDF.

3. Downloads

Versão 4.01a R.03 de 05/10/2007.

Pacote Completo (Inclui todos Service Packs até o service pack 3)
Service Pack 2 - Cumulativo (para usuários da versão 4.01a R.02 ou anterior)
Service Pack 3 - Incremental (para usuários que já estejam com o Service Pack 2 instalado)

Service Pack 2

O Service Pack 02 para usuários do VirtuOS 4.01 foi liberado para disponibilizar as alterações descritas no documento baixe o VirtuOS_Liberação_401a R03_SP2.PDF.

Service Pack 3

O Service Pack 03 para usuários do VirtuOS 4.01 foi liberado exclusivamente para suportar máquinas cujo BIOS não reporta de qual disco físico foi dado o "BOOT". Nestes casos assume-se, então, o IDE-Primário, unidade Master. Este Service Pack é incremental e sua instalação pressupõe que o sistema já esteja com o Service Pack 2 instalado


Versão 4.01a R.02 de 29/08/2007.

Pacote Completo (Inclui todos Service Packs até o service pack 3)
Service Pack 1 - Cumulativo (para usuários da versão 4.01a R.01 ou anterior)

Service Pack 1

Modificações e Correções:

VirtuOS 4.01a R.02
a. O VOSWS.SYS passa também, assim como já o faz o VIRTUOS.SYS, a considerar como CHECKSUM=YES no caso de não haver este parâmetro no arquivo de configuracao.

b. Em equipamentos muito rápidos, a virtualização da porta 0x40 (C8254 Timer 0) não funcionava corretamente. Isto se refletia em medições de tempo erradas quando programas utilizavam deste artifício para faze-las.

BINDODI.EXE - Vrs 3.03
a. Em redes onde ocorram "tempestades de brodcast" (broadcast storm), podia ocorrer, esporadicamente, travamento do canal de rede e, eventualmente, travamento de todo o sistema. Esta é uma situação extremamente rara é só foi detectada uma única vez até a data deste release.

MODE.EXE - Vrs 3.00a
a. Permitir o tratamento das portas COM através dos mecanismos de I/O de arquivo, usando operações de Open, Read/Write e Close. Para tal basta executar o comando "MODE COMn <baudrate>,<paridade>,<tamanho_dados><bits de parada>". Ao faze-lo, um device driver com o nome da porta COM informada é deixado residente na máquina virtual, permitindo o uso desta porta da forma descrita. Outras chamadas do comando MODE para a mesma porta com valores diferentes de programação irão alterar os parâmetros informados na primeira chamada. O driver deixado residente ocupa um espaço de aproximadamente 1.650 bytes da TPA. É possivel instalar drivers para diferentes portas COM (COM1, COM2, etc) em uma mesma máquina virtual.

b. Adicionado o comando "MODE COMn 8250" para desabilitar o FIFO existente nas interfaces seriais modernas (16450, 16550, etc). Diversos programas que tratam as interfaces diretamente não foram escritos prevendo a existência destas interfaces, mas sim da antiga interface 8250. Se a porta COM estiver definida no arquivo .CFG do VirtuOS, o FIFO é habilitado, causando o não funcionamento deste programas e obrigando a remoção da definição destas portas do sistema. O comando MODE COMn 8250, desativa o FIFO habilitado pelo VirtuOS, permitindo o uso de tais programas sem a necessidade de remover a definição destas portas do sistema. Este comando deve ser executado antes da carga do programa que trata diretamente a interface serial e que apresenta problemas na situação descrita.

c. Alterado o comando "MODE <display-adapter>" para permitir a definição do número de linhas da tela. Para isto, a sintaxe do comando passou a ser "MODE <display-adapter>[,n]", onde 'n' é o número de linhas e pode ser: 25, 43 ou 50.

Exemplo: MODE CO80,50

SMB.EXE - Vrs 2.26
a. Quando o sistema estiver em modo SECURITY=OFF, não exigir a presença do arquivo catálogo de usuários, grupos e senhas, ou seja, o acesso é irrestrito.

USB.EXE - Vrs 3.32a
a. Correção: Quando um adaptador USB x Serial era removido da porta USB, o mesmo não era removido das tabelas do Sistema Operacional.

VSHELL.COM - Vrs 2.21
a. Foram criadas duas novas variáveis de ambiente (environment):

SYSTEM = VIRTUOS | VOSWS: Criada no início de uma sessão de uso, permite que se descubra sob qual tipo de S.O. se está, VIRTUOS (servidor) ou VOSWS (estação).

USERNAME= <nome>: Criada quando o usuário se identifica no início da sessão ou a qualquer momento em que seja executado o comando LOGIN, esta variável contem o nome do usuário registrado.

Novos módulos:

850TOWIN.EXE - Vrs 1.00

Programa que converte arquivo texto criado com o conjunto de caracteres padrão PC850 (codepage=850) em arquivo texto com o conjunto de caracteres CP1252, o qual é o conjunto padrão para textos de 8 bits para a plataforma Windows em ambientes de línguas ocidentais. Desta forma, é possível exportar um texto criado sob o VirtuOS e que contenha acentuação e demais símbolos específicos da língua portuguesa, para que seja aberto sob qualquer editor Windows como, por exemplo, Notepad, Write ou Word.

Sintaxe:

850TOWIN <arq_850> <arq_win>, onde:

<arq_850> é o nome do arquivo de entrada contendo caracteres do conjunto PC850;
<arq_win> é o nome do arquivo de saída.


VirtuOS 4.01a - R.01 de 10/07/2007.

Versão BASE - Pacote Completo

< Voltar